Inteligência artificial mostra como Rio de Janeiro poderia ser

Com o auxílio de ferramentas de inteligência artificial, a exposição “Lagoa Balneário”, que estreia neste domingo (2), no Arpoador, mostrando versões de pontos do Rio inegavelmente belos, mas que estão destratados pela poluição e falta de recursos públicos.

No catálogo estão a Lagoa – principal inspiradora do projeto – além de outras paisagens como a Baía de Guanabara com “bordas” de soluções arquitetônicas para as regiões inspiradas em ícones da arquitetura brasileira, como Oscar Niemeyer.

Divulgação: Imagem gerada por IA

“A ideia é que o público também possa fazer [mais imagens] e enviar para a gente para a gente”, diz o arquiteto e urbanista Pedro Évora que organizou o projeto com Marcus Wagner e Mauro Viegas Neto.

Além das imagens geradas por IA, a exposição também tem um conteúdo técnico inspirado em estudos do engenheiro e progessor da Coppe Paulo Rosman, que é especialista no tema da lagoa desde a década de 90. Ele aponta o “estrangulamento” do canal do Jardim de Alah como um dos principais problemas na questão da poluição da lagoa, já que dificulta a troca da água do local com o mar.

Divulgação: Imagem gerada por IA

“A gente se acostumou a ver as máquinas tirando a areia do canal e as dunas do Jardim de Alah. Eu não tenho lembrança de quando aquilo não esteve ali”, observa Évora, acrescentando que a licitação anunciada pela Prefeitura para a privatização do Jardim de Alah deveria levar em conta a despoluição do local e a administração municipal deveria tentar resolver essa questão.

“Recentemente, a licitação anunciada pela Prefeitura para o Jardim de Alah trouxe a oportunidade de revermos essa questão. É de interesse público alargá-la para muito além do próprio Jardim, e, finalmente, tentar salvar a Lagoa”, diz o texto de divulgação da exposição.

Divulgação: Imagem gerada por IA

Évora também comenta as recentemente anunciadas melhoras na questão do lançamento de esgoto de construções – um biólogo que mergulhou no local observou melhora na fauna – não são suficientes para resolver de vez a poluição na Lagoa. Ele observa que, segundo vários estudos, a questão da poluição ali envolve ainda a topografia do fundo da lagoa, a dinâmica da vegetação e acúmulo do material orgânico e outras questões que só seriam solucionadas como maior troca de água com o oceano.

Divulgação: Imagem gerada por IA

Serviço

Exposição “Lagoa Balneário”
Local: Alalaô Kiosk
Horário do lançamento: 15h30 às 19h
Em caso de chuva o evento será adiado

Divulgação: Imagem gerada por IA

Com informações via G1

Add a comment

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *