Google desativa gerador de imagens IA Gemini após comportamento racista

Poucos dias após lançar sua nova inteligência artificial, intitulada Gemini 1.5, o Google voltou atrás e suspendeu o recurso de gerar imagens após os usuários apontarem na internet um comportamento extremanente racista por parte da IA, que simplesmente se recusa a criar imagens de pessoas caucasianas – substituindo por uma ‘versão com diversidade’.

“Certo, mas e qual o problema nisso?” muitos estão se perguntando, a questão é que ao questionada para gerar imagens de figuras histórias, Google Gemini se recusa a fornecer respostas precisas somente quando se trata de pessoas com etnia branca – principalmente se forem do sexo masculino.

Por exemplo, diversos usuários solicitaram para Google Gemini criar imagens históricas de vikings, a ferramenta gera imagens com pessoas de praticamente todas as etnias menos pessoas brancas – que como todos sabem se trata da raça que dominou a Europa da Antiguidade a Idade Média.

Vikings pelo Google Gemini

Foram preciso inúmeros casos – compartilhados na internet – para que o próprio Google suspendesse a ferramenta anunciando que ‘buscaria melhorias’. Mas a questão parece ser muito mais profunda que apenas um erro de sistema. Como muitos usuários apontaram via X o Google há alguns anos modifica deliberadamente seu algoritmo para oferecer respostas que contenham ‘maior diversidade’ do que exatidão.

O ruim disto é que a verdade fica em segundo plano, e justamente quando a inteligência artificial começa a criar fotografias e vídeos tão realistas que muitas vezes passam batidos como uma verdade universal para muitos usuários – que não fazem ideia que o conteúdo foi gerado em poucos segundos por uma máquina que possuí um código para alinhar o conteúdo com políticas de diversidade racial, sexual, social, etc.

O perigo aqui é a história real humana ser apagada para dar lugar a uma versão politicamente correta dos dias atuais. Até hoje por exemplo nunca existiu um papa mulher ou de raça negra, porém a inteligência artificial do Google se recusa a criar uma imagem de um papa homem branco – que como todos sabemos se trata de 100% dos casos através de milhares de ano da existência da Igreja Católica.

Papa criado pelo Google Gemini

É um verdadeiro crime contra a humanidade que está sendo perpetuado pelo Google, que pela reação de muitos funcionários da empresa, faz este tipo de preconceito de propósito em nome da diversidade.

Outro grande problema é o próprio Google, ou Alphabet, como uma das maiores empresas do mundo ter lançado um produto tão falho – que precisou ser desativado em poucos dias. O que mostra, como apontou Elon Musk em sua rede social, que o Google sem dúvidas deixou de ser uma empresa confiável para se tornar parte de um problema maior, atuando na repressão de informação e (por incrível que pareça) contra a verdade – por mais difícil que ela seja. E quem diminuí o problema não faz ideia dos desdobramentos desastrosos que a política de diversidade do Google pode causar, pois apagar o passado somente fará a humanidade esquecer de seus erros e defeitos – que nos fizeram evoluir até hoje.

‘Rei da Inglaterra comendo melancia’ por Google Gemini

Triste.

Add a comment

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *